Ensinando o proletariado level esposa

Uma conhecida lá de Joinville, a Vanessa, postou no Facebook sobre os altos preços para se almoçar num certo shopping center da cidade. E olha que nem é o maior shopping da cidade. Fica no centro da cidade, ou seja, várias pessoas lá almoçam por dia. E também estudantes de escolas locais. No tópico, alguém comentou sobre o prato de massa de um certo restaurante por +- 24 reais. Quando eu lá morava, um prato de massa deste mesmo restaurante custava +- 15. Há 4 anos, jeit. Que isso?

Como nunca trabalhei em escritório pras bandas de cá, vou me basear na experiência do Herr. Em Hamburg, os colegas dele sempre pediam comida pela internet. Todos os dias. Refeições chinesas, thais, italianas, gregas. Um ou outro “autista” lá ficava no cantinho comento um sandubinha trazido de casa. Às quartas o povo saía do escritório pra comer nas barraquinhas do mercado de rua (sanduíche, salsicha, cachorro-quente).

Aqui na Inglaterra, ele trabalha numa empresa no meio do nada. E lá tem um restaurante que serve mais outras empresas perdidas. O que servem lá? Hamburgers, cachorro-quente, torradas, fish fingers e o famoso feijão doce (feijão em molho de tomate). Para 30-40 minutos de almoço e uma fila estúpida, não estava valendo a pena comer nada lá. E aí ele resolveu ser o autista da empresa e levar almoço de casa.

E assim ele está estou fazendo todos os dias, preparando a lancheirinha do guri. O que vai? dois sanduíches (um de queijo e um de presuntis), biscoitos, fruta (uvas, uma mação ou tangerina pequena), verduras para snack (cenoura, pimentão) e se ele for um bom menino leva também um chocolatinho.

POTES

– Nossa, só isso? Sim, esse negócio de arroz, feijão, lasanha, strogonoff no almoço é coisa de Brasil. Aqui, o que chamam de “refeição quente”, é mais consumida no jantar. Igualzinho como fazem onde o vento faz a curva na Holanda, como a Simone já contou aqui. Se for “refeição quente” no almoço, não produzem tanto durante a tarde com a barriga cheia e pesada. Não é (tapa na cara da society)?

E aí que nas primeiras semanas ele era o autista da vez. Enquanto o povo se arrumava pra ir no restaurante comer nada nutritivo, o magrelo abria sua lancheirinha e relaxava no silêncio do escritório. Diz que até ouviu umas risadinhas e comentários do tipo “esposinha faz lancheirinha pro menininho lalalalala” -> olha o bullying.

Diariamente, gasta-se em média de 6 a 10 libras no restaurante. Eu gasto de 8 a 10 libras pra encher o TAPOÉR por 5 dias. Como ninguém nunca tinha feito as contas, diz a lenda que depois disso uma meia dúzia de colegas começou a levar suas lancheirinhas de casa.

Malmitão no selviço: é nóiz.

Anúncios
Esse post foi publicado em Brunices, Coisas da Inglaterra. Bookmark o link permanente.

21 respostas para Ensinando o proletariado level esposa

  1. Ana Jähne disse:

    eita mulher prendada!

  2. Giselle disse:

    Hahaha! Adorei o post e o blog todo! Aqui na Alemanha o povo tb nao come comidinha quente no almoço, mas eu confesso que pra mim parece que tá faltando alguma coisa…o marido leva sanduíche de pão preto com pate de figado, bem wurst, bem alemao! haha..

  3. zoovox disse:

    Lembrei uma vez de quando eu trabalhava no Brasil e levava marmita de casa sai fui passar no Banco na porta giratoria minha marmitinha de ferro e detectada. Mas é mesmo bem mais prático e ecônomico levar coisinhas de casa.

  4. patricia paula disse:

    O fia, moro aqui no Brasil, e o trabalho do maridón( na nossa propriedade rural, “nóis é da roça bem”) é tão somente 25 km da cidade em pista free way, ou seja se o gorducho( o meu é gordinho,kkk) quisesse poderia vir almoçar em casa, mas não gosta da boa e velha(que é nova e limpíssima) marmita. Ai vc deve estar me perguntando, poxa não tem nenhuma caseira lá que cozinhe? Não, pois tb aqui já entramos numa nova era, contratamos só os maridos, por conta das leis trabalhistas e altos impostos.Pois mesmo que elas cozinhe nas suas casas e nós fornecemos a compra, diante do ministério público caracteriza vínculo empregatício. Então… dá-lhe marmita no marido.

  5. Camila P. disse:

    Hummm…. Meu marido é peao, e leva o Malmitao todos os dias!! O problema é que a esposa dele nem sempre prepara, e neguin tem que se virar!!

  6. Djanira Horn disse:

    Eu também faço a minha quentinha diariamente, até virou motivo de chacota no começo, coisa de peão, rango de pedreiro, mas depois todo mundo acabou aderindo, temos até um clube da marmita.

  7. Luana Bacci disse:

    Bruna, aqui em Narnia Molhada do Sul eh a mesma coisa, povo traz um pao com queijo – nao consigo chamar isso de sanduiche!
    Eu, mesmo morando por essas bandas ha mais de 5 anos, nao consigo me acostumar a isso nao… preciso de comida quente, comida de verdade! A noite eu como um lanche, porque costumo comer tarde e ir pra cama com a barriga cheia nao da.

    • brunahagemann disse:

      Nem fala. Esse ritmo fode com minha dieta, já que “comida quente” fica pra janta :/
      Aff tinha esquecido de adicionar você na lista dos meus blogs! Agora, done! Parabéns, você inaugurou a lista da Bélgica o/

      • Luana Bacci disse:

        hahahahaha

        Vantagens de morar num pais meio agua com acucar e pequenininho… Normalmente eu sou a primeira a inaugurar a lista “Belgica” e a unica tambem… hahaha

        obrigada por me incluir!

  8. Brunoca mudando da cultura da empresa, né? rsrs

    Saudades da minha flor de maracujá tb. Um ano que nos conhecemos pessoalmente, né? Pq as trocas de email já sao véias pra dedéu! hahahaha
    Bjs!

  9. ahahahahah! Eu tb faco a lancheira do meu Herr. so que nao é tao glamourosa quanto essa da foto. Sanduba, iogurte e um PF, normalmente, um Auflauf que preparei no dia anterior ou uma sopa bem empapada dessas de presidiário. Estou DE FACE que no Brasil nego está pagando 25 reais para almocar. Sou do tempo em que pagava 5 no kilo vegetariano e ainda achava muito…

  10. Cristina disse:

    Oi,Bruna

    Sempre gostei muito do seu blog mas hoje infelizmente fiquei bastante chateada com sua postagem…Tenho um filho AUTISTA e não vejo nenhuma graça,nenhuma mesmo,em colocarem “autista” como se fosse algo engraçado se referindo a outras pessoas.Só quem passa por isso sabe o que estou dizendo e o quanto é dificil pra eles se adaptar a um mundo ridiculo onde ser aceito pela “turminha” é obrigatorio.
    Triste esse tipo de piada e pessoas que riem disso me deixam bastante chocada…
    Gosto do seu jeito de escrever e do blog mas honestamente fiquei sem vontade de ler os outros posts depois dessa.
    Espero que você entenda que foi infeliz sua piada e repense os conceitos que muitas vezes repetimos sem parar pra pensar.
    Beijo

  11. Miss Cherry disse:

    consideracoes: feijao doce. baked beans. nojinho. ainda mais quando comem COM TORRADA!
    tangerinas pequenas. chamam mandarins, nao é? anyway. Quero mto. Quero demais. pq elas sao melhores que as nossas mixiricas!!!
    consideracao tres. Comprei um bento na net. Agora eu faco parte dos autistas do escritorio, que economiza (pasme) 300 reais, PELO MENOS, de comidgénha por mes!

  12. kkk, fiquei rindo aqui, pois o meu marido tb leva comida… mas na maior parte do tempo é um prato pronto que vai no microondas!!! Até tentei fazer mais no jantar para ele levar no almoço, mas o dito cujo não pode ver comida “sobrando” que ele acha que tem que comer até acabar…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s