Posso fazer uma observação?

Queria soltar umas palavrinhas sobre salas de aula. As pessoas que as habitam. Um show de Comportamentalismo (Skinner morreria de inveja).

Não é segredo que eu não sou a aluna mais dedicada do mundo, mas eu provavelmente eu sou uma das que mais viaja na maionese. Como toda mulher multitask, eu presto atenção em tudo. Principalmente nos outros alunos. Observo muito. Afinal, não é todo dia que a gente mora em outro país e tem que fingir que é tudo normal né? Então eu observo, pra entender.

Às vezes é bacana, você pratica criatividade, bota a imaginação pra trabalhar e tal. Escreve estórias das vidas alheias, só observando o jeito das pessoas se comportarem. Dá nome, profissão, estado civil, traumas, alegrias, vícios.

Também aprecio esta atividade na balada, no trem, na praia, no mercado :D

E aí que tive que deixar um pouco de lado as observações gerais e focar na gordinha que sentou do meu lado na última aula de alemão. Bem diferente da finlandesa, que sempre senta ao meu lado mas faltou no tal dia. A finlandesa é a que mais sabe alemão entre todos presentes, fazendo a aula fluir com um diálogo entre ela e a professora, só. Mas nem fico estressada, afinal ouvir é uma maneira digna de aprender né? E a gordinha sempre sentou no outro lado da sala (sentamos em ‘círculo’). Eu não sou clarividente nem psíquica, mas eu sempre observei a gordinha hiperativa, só pelos olhos saltados dela. Dá pra ver de longe que ela sua frio.

Poderia ser drogada em fase de abstinência. Poderia ser um peidinho preso. Poderia ser fobia de pessoas. Mas sempre achei que ela se destacava entre todos os outros 11 alunos.

Voltando ao dia ao qual ela sentou do meu lado. Como a finlandesa não estava presente, senti que a gordinha estava muito mais excitada com a situação: agora ela poderia ser a número um em abrir a boca durante a aula.

Então a gordinha completava as frases que a professora falava. Respondia qualquer pergunta. Mesmo errando. E ainda ficava puta com ela mesma quando errava. A professora perguntava pro fulano e a gordinha atropelava todas as regras do bom comportamento e respondia rapidão, deixando aquele mal-estar no ar e o fulano frustrado. Afinal, o fulano mal fala e dessa vez ele sabia a resposta. Mas lá foi a gordinha…

Aí durante um minuto ela encostou em mim 3x, porque estava se mexendo muito (ela se remexe, ela se remexe muito), arrumando o casaco, o cabelo, espreguiçando e tals.

Ela batucava o lápis na cadeira, dedilhava em cima do livro, cachoalhava as pernas, roía as unhas, suspirava com força e piscava à pilhas Duracell. (poaham, e eu uso vírgulas como ninguém!!)

Agora, imagina o quanto a gordinha se priva de todas essas emoções e movimentos quando a finlandesa está presente.

Muita gente ficaria nervosa no meu lugar, daria uma porrada na cara da gordinha e pedia pra parar, porque é irritante. Mas eu prefiro canalizar minha energia para criar (claro, tudo fictício. Mas tudo cai como uma luva…) a estória dela: chama-se Maricléia, (gosta de ser chamada de Lia) tem 19 anos, latina. É aupair, preferia ser na França mas por insistência da família veio pra Alemanha. Não está feliz, por isso não depila o buço há meses. Usa redes sociais para blind dates mas sempre fura os encontros por medo. Tecla em miguxês. Tem tártaro. Morre de vontade de fazer nail art mas tem coordenação com nenhuma das mãos. Odeia a moças escandinavas. Quando voltar pro seu país, pretende seguir a carreira da tia: professora de recursos humanos. E vai ser do tipo que só dá fora nas alunas gordinhas hiperativas.

Pronto, observação feita :)

Anúncios
Esse post foi publicado em Brunices. Bookmark o link permanente.

17 respostas para Posso fazer uma observação?

  1. Liza disse:

    Ah adorei o post!
    Eu faço isso também no metro, mas não tenho tanta criatividade igual você. Bjo

  2. Mari disse:

    Adorei! Também uso o meu tempo livre (livre?) das aulas pra “canalizar a energia para criar”. E olha que coisa, ontem me senti mal porque eu uso muitas vírgulas.
    Muito obrigada, me sinto mais normal lendo o seu blog agora. Hahahahah
    Um beijo!

  3. Ca disse:

    Boa maneira de canalizar energia!

    • brunahagemann disse:

      Eu conheço bastante gente que diria que a gordinha estranhou seu dia, ou que se irritaria fácil e ficaria de mau humor só porque a gordinha tomou sua paciência…
      convenhamos “ela tem tártaro!!”, estressar pra quê néam? rs ;-)

  4. Eve disse:

    hahahaha
    Eu não sei se eu gosto mais dessa parte: “Poderia ser um peidinho preso.” ou se da magnífica história que vc criou para ela.
    Criativa, vc hein? ;)

    Bjs!

  5. Simone disse:

    HAHAHAHHAHAHH me inspirei no post e vou escrever sobre a minha classe também. Sempre tem um gordo né? Na minha classe nao tem gordo, tem uma americana da bunda XXL, mas gordo mesmo não tem. Poderia ser eu, mas to firme no regime.

    beijao

  6. Carolxa disse:

    queria ver uma foto da gordinha. fiz uma imagem mental muito bizarra dela. será que bate com a realidade?

  7. Ana disse:

    To aqui quase chorando de rir! Kkkkkkk
    Eu tb afiro observar as pessoas, como vc mesma citou, é uma forma de aprendizado.
    Agora, bater essa sua criatividade é q fuça difícil! Kkkkkkkk
    Da comparação de hiperatividade ao peidinho preso até o tártaro e miguxês – amiga, vc deveria escrever crônicas diárias para animar o nosso cotidiano!;-)

    • Ana disse:

      Bom, e se eu lesse meu comentário antes de enviar, evitaria q a meleca do corretor automático do celular me fizesse passar vexame: leia-se fica difícil.

      • brunahagemann disse:

        Hahaha, para evitar este tipo de transtorno e outros possívels vexames eu desativei o auto corretor no meu né, imagina enviando sms pra chefe :-|
        E olha que eu sempre odiei escrever a vida inteira… agora tá cheio de gente me provando ao contrário!

  8. Coca disse:

    Mas que mente fértil….fico imaginando aqui uma Bruna me observando, e a estória que sairia…

  9. Pêtra disse:

    Nossa, que imaginação fértil!!! E fico aqui a pensar, oh meu Deus, o que será que as pessoas imaginam a meu respeito, porque os gordinhos sempre são os primeiros alvos e eu sou gordinha!! Hahahaha….
    Beijo!!

  10. Pingback: Exílio em casa « Brunalemanha

  11. Iza disse:

    UAhhuHAUAuHA
    Muito bom! Eu ri demais!
    Acho que o pessoal aqui do meu trabalho ta achando que sou louca rindo sozinha!

  12. Isabele disse:

    Esse é o post de uma fã de Luis Fernando Verissimo, sem dúvida ;)

    • brunahagemann disse:

      Se eu te falar que sempre fui ignorante pra literatura, você acredita? Raramente consigo terminar um livro. Acho que do Veríssimo só li um. E neste momento estou lendo um do Mário Prata. Esse safado sim me copia pra caralho!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s