Pô cara

Toda vez que eu desço para a lavanderia do prédio, de calça de moletom + blusa de pijama + havaianas surradas eu penso que a qualquer momento esbarrarei com George Clooney. Aqui, na escadaria azul do meu simplório edifícil. Nos olharemos, olharei pro meu outfit, olharei novamente pra ele e direi: “Pô cara, justo hoje?”

E invento um diálogo, do tipo ~o senhor não gostaria de entrar para tomar uma xícara de café? Só tenho de filtro mesmo, Nespresso fica pra próxima. Olha, não liga a bagunça. Mi casa su casa. Preciso descer pra pegar as roupas, fica de olho no Calvin por favor?~

PUFF e aí eu lembro que tenho um bebê pra cuidar e roupas pra lavar.

E precisando de nova roupa pra fazer tudo isso.

Minha mente tá me pedindo pra comprar uma cafeteira e roupa pra poder descer as escadas mais tranquila. Culpa do George.

Publicado em Brunices | 6 Comentários

Muitas tarefas, uma loira.

Pior do que vir aqui passar o dedo na estante pra ver a quantidade de pó é perceber que o blog ainda estava logado e o WordPress alterou todo o layout que eu não sabia onkesconderam a ferramenta para escrever post. Por Deus. Fiquei uns 7 minutos tentando descobrir. Se você acha muito, pensa que estou desde fevereiro tentando entender o Windows 8.

Tem muitas outras coisas que tento entender que me faz estar à um peteleco de compor músicas pro Djavan.

Uma delas é “e o que é que eu vou fazer com essa tal (se você pensou em pagode, bem-feito) maternidade (poxa, até rimaria, dane-se Djavan que eu vou com o SPC)”.

A maternidade é um assunto que pra blogs do mundo já tem de monte e eu não sei lidar com a atual enxurrada de formadores de opinião na internet sobre o assunto, porque tá cheio dos julgue-não-me-julgue. Qualquer exposição mínima de qualquer assunto relacionado ao mundo materno, sempre haverão palpiteiros sem serem chamados, ativistas de alguma coisa, alguém procurando pêlo em ovo, julgando sem ter experimentado e gente que não vem aqui em casa lavar a louça. Poxa, vem e fica que tem bolo! <3

Não, nada aconteceu, to aqui de boaz. Eu to é querendo evitar a fadiga :D

Só que eu, pessoa pouco organizada, tenho um acúmulo afazeres desde estúpidos à homéricos e eu não sei por onde começar. Ou terminar. E da lista de coisas que nem ordem tem (releia o começo desse parágrafo) o blog está entre elas. Se tivesse ordem, talvez estaria pro fim. Ou não? Durma com esse barulho.

E a maioria dos ítens dessa lista são relacionadas à arrumação de partes específicas de casa, que eu não consigo terminar. Aparentemente Calvin quer muito me ajudar esvaziando o armário dos potes de plásticos da cozinha (vai que precisam pegar um ar fresco) ou desdobrando todas minhas calças da gaveta (talvez elas precisam do contato com o chão). Fim de semana é rua, family quality time e tals.

Acho importante que ele explore a casa mas não o deixo encostar nos armários perigosos e só botei trava em um. Sou dessas. Não acho bacana fazer do lar um campo minado, de proteções pra tudo. Calma, as quinas e as tomadas estão seguras, chama puliça não. Calvin aprende o “não” muito rápido, se desinteressa das coisas que não pode e vai inventar outra coisa pra fazer/botar na boca. Ou seja, estou sempre de olho. Ou seja (2), não posso organizar nada com ele presente. E quando ele dorme? Rá. Ele é cheio de energia mas ainda não dorme decentemente. Ou seja (3), quando ele soneca, eu também soneco. Mijulgui novamente.

~Ain nossa como assim vc deixa ele pegar em tudommm~
~Ain nossa como assim vc dorme qdo ele dorme como assimmmmm~
~Ain nossa ele tá com 14 meses e vc ainda não botou na escolinha~
~Ain nossa eu tenho muito mais responsabilidade que vc e faço tudo que preciso~
~Ain nossa para de reclamar da vida~
~Ain nossa duvido que sua vida seja tão perfeita~
~Ain nossa como assim você ainda não se acostumou com o Windows 8~

Pare miga. Menas. Windows 8 não é de Deus.

Vlw? Flw? De boa? Tocaqui então o/

E veja só, de repente um ítem riscado da lista. Um post!

Se eu sumir por aqui novamente, to lá no Instagram @brunalemanha :)

Até mais ver :*

 

 

 

Publicado em Uncategorized | 8 Comentários

Humor alemão no cotidiano

Em dois simples e rápidos reais causos:

– Calvin nasceu e no hospital tinha uma ótima enfermeira veterana, a qual adorei ter por perto nos primeiros dias. Certo dia passei por ela no corredor e falei: “posso levar você pra casa?” Ela respode: “Não, tenho que trabalhar.”

meme

– Primeira injeção do Calvin. Olhei pro pediatra e disse: “vai doer mais em mim no que nele, eu sei!”. Ele responde: “Mas é ele quem vai tomar a vacina.”

memeZee Tschermans.

Publicado em Coisas da Alemanha | 9 Comentários

The Ultimate German Shopping

Fazer compras em geral na Alemanha é sempre uma aventura. Tem o lado bom, como por exemplo ninguém vai te puxar na rua pra entrar na loja ou ficar te seguindo com um “posso te ajudar?” e há sempre uma atmosfera de satisfação para vendedor e cliente quando o valor a ser pago é bem quebradinho e ele é corretamente pago com o número máximo de moedas. E também tem o lado ruim, como ser atingido por olhares de lasers de todos atrás de você na fila enquanto você fecha sua carteira e coloca na bolsa. Tem que ser devidamente cronometrado. Passou de 17 segundos, você vai pra casa com 3897 exús mal-olhados nas costas.

No mercado há a chance de jogar as compras passadas no caixa no carrinho e ir para um balcão apropriado empacotar com calma e fazer a fila fluir. Mas se é em loja, não há um espaço para você empacotar, já que muitas lojas empacotam pra você e te dão a sacola (provavelmente cobrada) já cheia. Há algumas exceções as quais você se vira com suas compras no pequeno balcão do caixa, sem espaço para empacotar e a pressão social da pressa alemã invade o ambiente.

E aí me acontece o inesperado: comprei uns 6 itens, sendo dois porta-velas de vidro. A vendedora escaneou os ítens, me deu a sacola cobrada e no fim jogou duas páginas de jornal velho para eu enrolar os porta-velas.

Te vira.

Sdds balinha de troco.

 

Publicado em Coisas da Alemanha | 6 Comentários

Sobe? Não.

A maternidade me apresentou um novo caminho: a dependência de elevadores. E causos de elevador não faltam, é praticamente minha segunda lavanderia comunitária.

Tipo, lojas de roupas que têm espelhos que emagrecem. Só que o espelho do elevador não. Touché.

E a sensação de poder supremo ao chegar na porta do elevador e as demais pessoas esperando  elevador (que não necessitam do mesmo e têm preguiça de andar 50 metros pra usar escada rolante) abrirem alas porque o carrinho de bebê é prioridade.

Também tem o rapaz autista do shopping, que toda vez que pega o elevador comigo (e com qualquer mãe) faz as mesmas perguntas num tom sério: “é menino ou menina? qual idade? é daqui do bairro? ok.” e sai no próximo andar.

Elevadores também atraem velhos, e outra coisa que atraem velhos são carrinhos de bebês. Como eu moro num bairro onde você só faz turminha se tiver mais de 70, não é difícil esbarrar com algum vovô ou vovó diariamente. Oh tá chorando? Tá com fome. Ih, tá cansado né? Ohh deve tá com frio. – Não, senhora, é alergia a gente inxirida.

E também tem os velhos que ignoram o bebê.

Na loja de departamentos que só tem dois andares (térreo e subterrâneo), entrei com o carrinho no elevador e apertei subterrâneo. A velhinha veio atrás de mim, olho nos meus olhos e disse: “primeiro andar, por favor”.

– Senhora, estamos indo pro subterrâneo.

– Ok, mas aperta o primeiro andar pra mim?

– Mas… mas não tem primeiro andar aqui.

– Oh meu Deus, isso é terrível!!!!!

E olhou nos meus olhos com muita angústia.

Velhos que ignoram bebês dentro de um recinto de 2x1m² vivem num mundo paralelo.

E fica a questão: pra onde ela queria ir?

Publicado em Coisas da Alemanha | 6 Comentários

Lavando roupa suja de graça

Mais uma da lavanderia comunitária do condomínio, porque lá a zuera never ends.

Os recadinhos levemente grosseiros escritos nas folhas de agendamento das máquinas continuam firme e forte, desde “tirei sua roupa pois estava 15 minutos atrasado” até “limpe a gaveta do sabão em pó da próxima vez”. Sem remetente e sem destinatário. Uma vibe de Eu Sei o que Você Fez na Última Lavagem.

E aí que esses dias na máquina de créditos onde colocamos (~~colocamos, hue~~) moedas tinha um papel colado escrito “Apenas moedas de 50 centavos”. Dias depois, fui entender. Ao invés de um recadinho levemente grosseiro, foi a vez da empresa que cuida da lavanderia colocar um parecer, agora nas portas de todos os prédios:

bloggg

Alguém super zuero andou usando moedas de 20 centavos E moeda estrangeira. Gente!!!

Quem tem a capacidade de ter moeda estrangeira em casa dentre tantas velhas senhoras? Quem é gringa que lava roupa? Fora haole!!!

lookatallNão, não fui eu. Já afirmei que uso jeitinho para lavar as roupas e ninguém sabe. Só vocês, vlw?

Mas a dica ficou e olharão torto pra mim pro resto das festas de fim de ano pelo condomínio.

Publicado em Coisas da Alemanha | 2 Comentários

Imagem não é tudo

Na verdade é um trabalho danado.

Um resumo em imagens sobre Calvin:

 

dando banho

ca_sau_2 Limpando a orelha

cangurus-luta

Dar aquela olhadinha na situação da fralda

GATE01levantando o bebê do chão

matthias-steiner-falha-na-tentativa-de-levantar-196-kg-na-categoria-acima-de-105-kg-no-levantamento-de-peso-1344377252369_956x500Cortando as unhas

pega-varetaGolfadinha

lamaBarulho de construção, cortador de grama e máquina de lavar louça

gatos-dormindo-lugares-inusitadosBarulho de quando espirro

index

Assistindo Galinha Pintadinha pela primeira e última vez

chloeTrocando fralda

The_black_dragon_attack_PRINT_by_el_grimlock

Verificando como o bebê está no meio da noite

yoga

 

 

 

 

 

Publicado em Aleatórios | 7 Comentários